As classes na revolução russa

Apparatchics

Otto Ohiweiler

As dificuldades que a revolução proletária na Rússia teve de enfrentar, depois da tomada do poder, foram em grande parte determinadas pelos problemas inerentes à tentativa de edificação do socialismo num país económica e culturalmente atrasado, de maioria camponesa, isolado e sob o cerco imperialista, bem como pela desorganização e o descalabro da produção ocasionados, primeiro, pela guerra imperialista e, depois, pela guerra civil e as intervenções estrangeiras. Continuar a ler

Lenine sobre o bloqueio da revolução russa

NEP

António Barata

Compreender o regime gerado pelo bloqueio da revolução russa não é um mero exercício académico ou diletante, próprio de quem não quer saber do presente e prefere continuar de olhos postos no passado, crítica esta frequentemente dirigida aos que querem entender as causas do descrédito e do estado comatoso em que se encontra a esquerda marxista, e não se contentam com as pseudo explicações que vêm sendo avançadas há décadas pela generalidade das correntes comunistas, que insistem em tudo resumir a erros, traições e a golpes palacianos e conspirações patrocinadas pelo imperialismo, o grande capital e o fascismo – refiro-me à esquerda que ainda fala destas coisa, dado que a maioria decidiu há muito ignorar o assunto. Continuar a ler

A ilusão da jurisprudência

justiça-significado

Por Marcio Bilharinho Naves

Quando a luta popular é dominada pelas representações oriundas do campo da ideologia jurídica, ela apenas reproduz as formas de sua própria subordinação ao processo do capital. O “esquecimento” da tese de Marx e Engels sobre a incompatibilidade absoluta entre o comunismo e o direito conduz a esquerda aos velhos caminhos do “socialismo jurídico”. Continuar a ler

A Crise do Governo Temer, ou Governando com o Esgoto a Céu Aberto III

Fora Temer

Cem Flores

Alguns leitores deste blog Cem Flores poderão se perguntar o porquê do “III” no título deste artigo. É que a imundície da corrupção, inerente ao capitalismo e aos seus governos burgueses, já nos levou a escrever duas outras vezes com esse mesmo título, tratando dos governos Lula (“I”) e Dilma (“II”). Vejam nos links abaixo: Continuar a ler